DOCUMENTÁRIO MULHERES DE PEITO

Hoje vamos falar mais uma vez sobre câncer de mama, mas de um jeito diferente. Vou apresentar para vocês o documentário “Mulheres de peito”. Esse é um inspirado no livro FORÇA NA PERUCA – Tragédias e Comédias de um Câncer, escrito pela publicitária paulissta Mirela Janotti, 42, que conta sua história de superação de um câncer de mama.

À partir dele, quatro profissionais de comunicação formaram o grupo Mulheres de Peito com o objetivo de levar mensagem de superação as mulheres que vivenciam esta terrível doença.
O projeto iniciou-se com a produção do documentário Mulheres de Peito e se estende ou adapta para as mais diversas plataformas de mídia. Esse documentário conta a história de quatro mulheres que tiveram a doença e superaram de forma corajosa, sem desanimar ou fazer drama.

Em 2011 o grupo Mulheres de Peito estabeleceu parceria com o GBECAM – Grupo Brasileiro de Estudos do Câncer de Mama – que passou a fornecer ou validar as informações médicas-científicas apresentadas no projeto.

E o mais legal é que quem quiser pode mandar seu depoimento para a página do projeto: www.mulheresdepeito.com.br

A empresa, marca ou associação que quiser também pode levar o documentário para sua cidade, ajudando na disseminação da informação. É uma iniciativa maravilhosa que merece ser divulgada!

 

Anúncios

DEPOIMENTO PAULA

Clique na imagem para ampliá-la

Essa ai sou eu. Antes, durante e depois da doença. Você deve estar se perguntando “pq essa exposição toda?”, “pq mostrar a cara da pior fase da vida”? Eu te respondo dizendo que essa não foi mesmo a pior fase da minha vida e que eu me exponho exatamente para cumprir a missão que eu acho que tenho de ajudar as pessoas que tiveram essa doença. Não tenho vergonha de absolutamente nada e agora vou dar meu depoimento para vocês.

O povo chama de “C.A”, “aquela doença”, parece que vai cair um raio na cabeça de alguém se eles falarem CÂNCER. Nunca pensei assim, graças a Deus. Desculpa, mas isso pra mim é ignorância. Não digo ignorância de burrice, mas ignorância de não saber mesmo.

Certamente ninguém pensa que esse tipo de coisa vai acontecer com a gente. Na verdade, eu acho que nunca havia pensado muito no câncer de mama especificamente, pois eu sempre fiz todos os exames periodicamente e etc. Sempre me cuidei e essa foi a minha sorte. Acho que tenho que agradecer a minha mãe por isso também (além de outras coisas), por sempre nos colocar para fazer exames. Como tenho um histórico de fazer cirurgia por outros motivos, sempre fui regularmente aos médicos, principalmente ginecologista e mastologista. Já tirei fiboradenomas (cistos benignos) e metade da tireóide, além de outras coisinhas mais. Continuar lendo