CAMPANHA: DOE LENÇOS E BONÉS. DOE AUTOESTIMA!

O Projeto Repartir, um grupo de voluntárias de Salvador, está com uma linda campanha de elevação da autoestima de pacientes em tratamento de câncer.

A campanha consiste em 2 partes:
– Arrecadação permanente de bonés e lenços, adultos e infantis, que podem ser entregues na loja Valmari (Pituba Parque Center – Salvador / BA) ou enviados pelo correio (para informações, entre em contato com o Projeto Repartir através da fanpage)

– Visita a instituições assistenciais sem fins lucrativos para uma conversa, lanche, brincadeiras, aula de turbantes, entre outros. Confira as fotos das duas primeiras visitas! Continuar lendo

QUIMIOTERAPIA E BELEZA

Se você estiver se perguntando o que uma coisa tem haver com outra, eu te respondo: T-U-D-O!

Decididamente, falando com conhecimento de causa, a beleza é uma grande aliada durante o tratamento de câncer, principalmente no de mama.
Sempre fui muito vaidosa e não deixei de ser quando fiquei doente. Nesse meu processo de cura, principalmente durante a quimioterapia, que a minha vaidade foi fundamental para que eu passasse esse tempo de forma tranquila e alto astral.
Cabelos
Quando acontece o diagnóstico, a primeira coisa que a maioria das mulheres pensa é “vou ficar careca!”. A maioria fica sim, e daí? A queda do cabelo geralmente acontece pois a quimioterapia bloqueia as células em crescimento no corpo: os pelos e o câncer. Não existe “almoço de graça”, né? É algo que se tem que passar, mas é temporário. Os cabelos voltam a crescer bem rapidinho, logo após o fim da quimio.
Existem várias formas de amenizar isso! Aconselho as perucas de cabelo natural sob medida (são mais caras do que as sintéticas, mas ficam muito mais bonitas e incomodam menos!) e os milhares tipos lindos de lenços que existem por ai! Aproveite a moda dos turbantes! Confira alguns modelos da linda especialista no assunto, Thaís Muniz

Continuar lendo

DEPOIMENTO: ANA PAULA ANDRADE MOREIRA

Sou Ana Paula Andrade Moreira, baiana, solteira, 39 anos de idade, empresária, professora universitária, palestrante e consultora de Recursos Humanos. Tenho cinco sobrinhos lindos, uma mãe maravilhosa, dois irmãos que me amam muito, uma cachorrinha linda e muitos amigos. Sou uma pessoa de bem com a vida. Minha maior qualidade: Otimismo. 

Passei por momentos de trauma na minha vida: tive um dramático choque em 2010, com a perda do meu primeiro filho durante a gestação. Algum tempo depois, veio a separação do meu companheiro. Em 2011 tive outra perda: a morte de meu pai.

Mesmo com tantas dores, nunca deixei de acreditar em Deus e numa vida melhor! Busquei ajuda de psicólogos para superar as dores e o esporte para me tirar da tristeza e da solidão. Descobrir um verdadeiro amor pela corrida. Correr me faz bem e quando estou correndo sinto a presença de Deus! Desde então, passei a fazer muitos planos – inclusive a preparação para meia maratona no Rio de Janeiro em julho de 2013 e para a São Silvestre em São Paulo!

Foi então, no final de 2012, comecei a observar que algo não estava bem com minha mama direita. Confesso que em nenhum momento pensei que pudesse estar com câncer de mama. Logo eu que sempre tive uma vida muito saudável! Boa alimentação, prática de esportes regulamente (corrida, pilates e bike). Não imaginava que poderia fazer parte da estatística de mulheres com a doença!

Somente em janeiro de 2013 parei para ir ao médico. Passei três meses achando que tinha um simples caroço na mama. Não tinha nenhum histórico da doença na família e fazia os meus exames periodicamente.   Mas a vida me surpreendeu com diagnóstico de câncer de mama.

Continuar lendo

RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE

Como disse o nosso querido Chacrinha, quem não se comunica, se estrumbica! É disso que quero falar aqui para vocês. Todo relacionamento acontece através da comunicação, não é mesmo? Pode ser através de palavras, gestos, expressões faciais e até mesmo, o silêncio.

Quando uma mulher se depara com o câncer de mama, a comunicação com os seus médicos e com os profissionais de saúde que integram a equipe multiprofissional, será seu principal instrumento para um bom vínculo e um diálogo de qualidade. O andamento do seu tratamento será possível e esperançoso conforme a relação estabelecida com a equipe que lhe cuida. E esta relação só poderá ser confiável, com sentimentos de segurança e dignidade, se houver verdade e transparência na comunicação. 
Continuar lendo

Senado aprova obrigação de reconstrução de mama pelo SUS

 
Projeto garante acesso das mulheres a procedimentos de procedimentos corretivos em casos de de retirada de tumor nos seios
O plenário do Senado aprovou na noite desta terça-feira (26) um projeto de lei que obriga o Sistema Único de Saúde (SUS) a realizar a cirurgia plástica reparadora imediatamente após a retirada da mama, em casos de câncer.Aprovado em 7 de março do ano passado na Câmara, o texto segue para sanção presidencial.

Para a relatora da proposta, senadora Ana Amélia (PP-RS), a medida irá beneficiar principalmente as mulheres mais pobres. A senadora também comemorou a aprovação do texto, porque segundo ela, atualmente as cirurgias são adiadas indefinidamente no sistema público de saúde. Durante a tramitação na Câmara, deputados lembraram que, para a proposta ter efeito prático, é preciso reajustar a tabela de pagamentos do SUS.

Continuar lendo

Vida Após o câncer de mama!

Faz tempo que estou querendo escrever um post assim, simplesmente para matar a curiosidade das diversas pessoas que me perguntam: e a vida após um câncer de mama? A resposta é única: NORMAL. As coisas vão se normalizando, o corpo vai reagindo e voltando ao que era antes.
Espero que esse texto fique prático, objetivo e que te ajude a tirar todas as suas dúvidas. Como não quero me estender, prometo fazer posts separados sobre cada assunto! Continuar lendo

Câncer de mama aumenta entre as mais jovens

 
A incidência do câncer de mama avançado em mulheres de 25 a 39 anos nos Estados Unidos aumentou nos últimos 30 anos, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira (27).
 
A pesquisa publicada no “JAMA”, a revista da Associação Médica Americana, descobriu que os casos passaram de 1,53 por 100 mil habitantes em 1976 para 2,9 por 100 mil habitantes em 2009.
Segundo os pesquisadores, isto representa um aumento médio ponderado de 2,07% por ano durante o período de 34 anos.
“A tendência não mostra sinais de diminuição e pode indicar um aumento da importância epidemiológica e clínica”, escreveram os autores do estudo, dirigido por Rebecca Johnson, do Hospital Infantil de Seattle e da Universidade de Washington.

Continuar lendo

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA TOQUE DE VIDA

Gente, quero compartilhar aqui algo muito especial com vocês, principalmente com quem mora ou está passeando em Salvador.
O grupo de voluntárias que eu faço parte, o Projeto Repartir (www.facebook.com/projetorepartir), em parceria com o Shopping Iguatemi Salvador, levará a novamente ao púbico a exposição fotográfica TOQUE DE VIDA, em homenagem ao dia da mulher.
A exposição retrata pacientes que enfrentaram o Câncer de Mama, mostrando sua superação e a possibilidade de uma vida normal e feliz após a doença. Serão expostas diferentes situações (como pacientes que viveram o câncer e uma gravidez ao mesmo tempo), etnias, idades e gêneros (um representante masculino, para alertar que homem também pode ter câncer de mama).
Essa é mais uma atividade que estamos realizando para aconscientização sobre a importância do diagnóstico precoce do Câncer de Mama, que é hoje a doença que mais mata mulheres no Brasil.
Por ano, no Brasil, em torno de 52.680 mil novos casos de tumor de mama são diagnosticados e 12.098 mil óbitos previstos. Somente na região Nordeste serão 8970 mil casos previstos: na Bahia teremos 2110 e
em Salvador, 810.

Serviço:

  • Exposição Toque de Vida, com pacientes que superaram o câncer de mama.
  • Data: 01 a 17/03
  • Local: Shopping Iguatemi, Alameda Luiz Gama – 3º piso.
  • Informações: PROJETO REPARTIR – www.facebook.com/projetorepartir

Beijos
Paula

EXPOSIÇÃO TOQUE DE VIDA

“O câncer de mama é hoje a doença que mais mata mulheres no Brasil. Pode tirar a vida, a autoconfiança, a feminilidade, a autoestima, a beleza do corpo e a alegria da alma. E, para surpresa de muitos, ele acomete homens também! O diagnóstico precoce é a melhor arma para evitar essa estatística. Nós, que já passamos por essa luta e saímos vitoriosos, estamos aqui para mostrar nossas histórias de superação e vida, felizes por podermos compartilhar com todos a força que nos guiou. Somos muitos. Somos diferentes. Somos diversos em idades,etnias, gênero, situação de vida, crenças. Mas somos iguais: acreditamos que a nossa história pode ajudar a minorar a dor de tantos; que nossas batalhas vencidas podem enxugar as lágrimas de muitos; que nossa voz pode alertar que tratar câncer hoje é apostar no futuro, e que o diagnostico precoce é o caminho para isso. Aqui, nosso Toque de Vida!!!!”

É com esse texto de abertura que a exposição, idealizada e realizada pelo Projeto Repartir e clicada pelo fotógrafo Marcus Claussen, revela imagens  de 17 pacientes que resolveram enfrentar e vencer a batalha contra o Câncer de Mama. A intenção é mostrar à sociedade que esta batalha é sinônimo de vida. Em cada foto, o paciente conta, em poucas palavras, a sua estória de superação, em uma espécie de depoimento porém com um único objetvo: conscientizar a todos da importância do diagnóstico precoce.

A exposição foi apresentada durante o Evento Outubro Rosa, na Casa Cor Bahia, nos dias 30 e 31/10 e em breve, poderá ser apreciada em shoppings de Salvador.

Projeto Repartir

OUTUBRO ROSA NA CASA COR

marca_or
Outubro já passou, mas não posso deixar de contar para vocês como foi minha experiência participando efetivamente, pela primeira vez, de um evento beneficente, em prol do NASPEC – Núcleo Assistencial para Pessoas com Câncer – instutição de Salvador que ajuda pessoas que vêm do interior da Bahia para a Capital e não têm onde ficar durante o tratamento.
Em cerca de 2 meses eu e mais 7 pessoas, integrantes do grupo de voluntárias Projeto Repartir, conseguimos organizar um evento que tomou proporções impressionanetes, que nenhuma de nós esperava.

Continuar lendo