DEPOIMENTO PAULA

Clique na imagem para ampliá-la

Essa ai sou eu. Antes, durante e depois da doença. Você deve estar se perguntando “pq essa exposição toda?”, “pq mostrar a cara da pior fase da vida”? Eu te respondo dizendo que essa não foi mesmo a pior fase da minha vida e que eu me exponho exatamente para cumprir a missão que eu acho que tenho de ajudar as pessoas que tiveram essa doença. Não tenho vergonha de absolutamente nada e agora vou dar meu depoimento para vocês.

O povo chama de “C.A”, “aquela doença”, parece que vai cair um raio na cabeça de alguém se eles falarem CÂNCER. Nunca pensei assim, graças a Deus. Desculpa, mas isso pra mim é ignorância. Não digo ignorância de burrice, mas ignorância de não saber mesmo.

Certamente ninguém pensa que esse tipo de coisa vai acontecer com a gente. Na verdade, eu acho que nunca havia pensado muito no câncer de mama especificamente, pois eu sempre fiz todos os exames periodicamente e etc. Sempre me cuidei e essa foi a minha sorte. Acho que tenho que agradecer a minha mãe por isso também (além de outras coisas), por sempre nos colocar para fazer exames. Como tenho um histórico de fazer cirurgia por outros motivos, sempre fui regularmente aos médicos, principalmente ginecologista e mastologista. Já tirei fiboradenomas (cistos benignos) e metade da tireóide, além de outras coisinhas mais.

Em 2010, ao fazer o auto-exame, percebi que estava com um “caroço” grande demais no peito, diferente dos que eu já conhecia. Resumindo: fui no médico, fiz exames, punção e terminei descobrindo que era alguma coisa sim. Eu, aos 30 anos, estava com um tumor maligno na mama.

Juro que quando soube da notícia a minha reação foi dizer: “Certo. Agora eu preciso fazer o quê? Como é que eu resolvo isso?”. Simples e prática, como sempre fui. Como tenho pessoas da família na área de saúde, fui orientada a procurar um oncologista e comecei o processo de exames para fazer a quimioterapia. Graças a Deus me bati com pessoas altamente capacitadas e especiais. Em 4 de janeiro de 2011 fiz a primeira de 8 sessões. Graças ao medicamento que tomei não vomitei, só tive náuseas. Logo na hora da aplicação, sentia muito sono e depois sensibilidade a luz, por causa de um dos medicamentos. Mas aquilo não era nada que eu pudesse suportar. Eu já tinha tido experiências piores com cólicas, por exemplo.

Comecei a pesquisar na internet, a me informar e conversar com pessoas que já tinham tido a doença. Sempre levava uma lista de dúvidas para meu médico e obtinha o máximo de esclarecimentos possível. Comecei a contar para as pessoas mais chegadas e daí que começa o drama! Rs! Lógico que cada um tem direito a ter uma reação, isso a gente não pode controlar. Mas eu vi, visivelmente, pessoas ficarem mais tristes e deprimidas do que eu que estava doente. Daí que eu sempre tinha uma frase na cabeça: “quem se desespera é quem não tem informação”. Eu sabia que meu caso era sério, claro, mas a doença estava no estágio inicial. Começaram também a querer me dar águas milagrosas e falar de misturas de ervas que alguém tinha tomado e se curado. Ainda bem que minha mãe conseguiu afastar de mim diversas iniciativas desse tipo. Respeitosamente eu dizia “desculpa, mas só posso tomar o que meu médico passa”. Até mesmo pq existem diversos chás que interferem no tratamento, sabiam?

Continuei trabalhando, só faltava no dia da sessão. O pessoal de lá também foi ótimo, super compreensivo. Lógico que não saia para a balada como antes, mas sempre que me sentia bem dava uma passeada e SEMPRE tinha amigos e familiares que vinham me ver. Isso foi fundamental! Não é vida normal, mas é quase. Claro que existem momentos de dores e cansaço, mas nada aterrorizante como muitos pensam! Continuem fazendo as unhas – sem alicates e usando uns truques que vou ensinar aqui – e sempre andei maquiada – essa foi minha melhor amiga!

O cabelo começou a cair lá entre a 2ª e 3ª sessões. Logo cedo cortei o cabelo curtinho e experimentei usar uma peruca sintética. Foi HORRÍVEL! Mandei fazer uma peruca sob medida para mim, de cabelo natural. Também fiz um estoque de lenços e vi vários vídeos no youtube para aprender a fazer vários modelos diferentes.

Depois da quimio, imediatamente o cabelo vai começando a crescer. Fiz a cirurgia em 30 de maio de 2011 e foi um sucesso, graças a Deus! O tumor já havia diminuído com o tratamento e eles tiraram o quadrante e alguns linfonodos (gânglios da axila) como prevenção. No mesmo dia já fiz a reconstrução e saí com tudo no lugar! rsrsr!

Um tempo depois da cirurgia comecei a fazer drenagem linfática manual e comecei a radioterapia em agosto,  depois de 60 dias. Esse é um tratamento complementar que ajuda a reduzir a chance da doença voltar. Ai achei até mais chato! Todo dia tem que ir no hospital, ficar com o desenho do local irradiado sujando a roupa. É como se você tivesse tomando sol em um local só. Ardeu e incomodou – vou sem sincera sempre com vocês -, mas também não foi nada que eu não pudesse aguentar.

A rádio dura pouco mais de 1 mês. A pele vai clareando aos poucos e você pode ir passando alguns hidratantes específicos para ajudar na restauração dela. Depois disso é sempre passar protetor solar, pq eu aprendi que até a pele que fica debaixo da roupa volta a escurecer se você tomar sol! Depois que você aprende isso, tudo volta ao normal.

Agora a vida é tomar um medicamento que bloqueia os hormônios femininos (que alimentam o câncer) por 5 anos. É tipo uma menopausa e eu não posso engravidar nesse tempo! Mas confesso a vocês que as únicas coisas que sinto são sede e a menstruação que reduziu muitoooooooo. Continuo fazendo drenagem, pois o peito e o braço incham um pouco depois da rádio.

No mais é isso, uma vida sem grandes limitações. Não posso comer frango ou ovo comum (só caipira), o braço retém líquido, não posso pegar grande peso nele (estou trabalhando isso no pilates, com grandes avanços), evito tomar sol e pronto.

Com essa história toda, terminei até me cuidando mais. Estou caminhando 3x por semana, fazendo pilates, me alimentando melhor e, o melhor de tudo pra mim, o incômodo que eu tinha com menstruação praticamente sumiu.

É isso gente, contei tudo para vocês! Se quiserem saber mais algo é só dizer!

Beijos
Paula

 

Um pensamento sobre “DEPOIMENTO PAULA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s